KONICA MINOLTA

Business Solutions

Gráfica RB investe no primeiro modelo AccurioPRINT C2060L de Pernambuco

Rodrigo Barros com C2060L

Sediada em Recife (PE), a Gráfica RB possui oito anos de atuação nos mercados promocional e editorial, sempre se diferenciando pela qualidade.

Inicialmente com um parque produtivo composto por impressoras offset, a empresa iniciou os investimentos em impressão digital em 2014 para atender a uma demanda do mercado. “Na época, cresceu muito o pedido das agências por tiragens menores que eram inviáveis de serem feitas em offset”, explica Rodrigo Barros, sócio-proprietário da Gráfica RB.

“Já conhecíamos a marca Konica Minolta e a reputação que seus equipamentos tinham no mercado. Também conversamos com um parceiro aqui de Recife que trabalha com impressoras da Konica Minolta e tivemos ótimas referências. Então, decidimos fazer o investimento”, destaca Rodrigo.

Agora, a gráfica dá um passo tecnológico para um novo salto de qualidade e flexibilidade no formato de impressão através da aquisição recém-anunciada da AccurioPRINT C2060L, o primeiro modelo da nova família de impressoras digitais coloridas da Konica Minolta instalado em Pernambuco.

Na Gráfica RB, a AccurioPRINT C2060L já está sendo usada, com sucesso, para a produção de itens como caixas em pequenas quantidades, livros, revistas, cartazes, panfletos até 1000 unidades, convites de casamento e cardápios.

Rodrigo chama a atenção para a ampliação das aplicações de impressão possíveis graças ao formato diferenciado. “Ao contrário das outras máquinas, a AccurioPRINT C2060L imprime em formato de até 33 cm x 1,20 metro, enquanto que as demais oferecem suporte ao padrão 48x33 cm, conhecido com formato quatro”, destaca. “Através desse formato maior, podemos imprimir produtos, como cardápios, em uma única folha, numa mesma etapa, sem necessidade de fazer montagem.”

Em relação à qualidade, o proprietário da Gráfica RB também não esconde a satisfação. “A qualidade é excepcional. Essa nova máquina dá de dez a zero no outro equipamento que temos”, acrescenta.

Voltar ao topo